Foi na voz dele

Eu estou há dias tentando escrever sobre alguns assuntos que estão na minha cabeça, como a proibição da Rachel Sheherazade de emitir sua opinião e a polêmica da Petrobrás, mas hoje, por um motivo especial, resolvi falar sobre aquilo que, apesar de não ser a minha profissão e talvez nunca seja, eu tenho como verdadeira paixão: o esporte e o jornalismo esportivo.

Ainda que sejam porcamente feitos no Brasil, com pouco apoio e investimento, um jornalismo tendencioso e vários outros defeitos, há verdadeiros mitos trabalhando por aí. Tanto como atletas como jornalistas. E hoje, um deles, Luciano do Valle, sai de campo pra ir pra nossa memória.

Não pretendo falar da atuação dele como jornalista, locutor, nem nada disso. Isso, deixo para quem tem expertise para avaliar fazer. Falo como fã de esporte, porque eu aposto aqui todas as minhas fichas que qualquer brasileiro já foi atingido por suas narrações de alguma maneira. Você não gosta de futebol? Tudo bem, você também já foi tocado.

Hélio Castroneves, Gil de Ferran, Tony Kanaan, Emerson Fittipaldi, Magic Paula, Hortência, Janeth, Oscar, Ana Moser, Virna, Leila Barros, Fofão, Giovane, Giba, Maurício, Maguila e tantos que eu, sem dúvida alguma, esqueci. Você já ouviu algum desses nomes? Claro que já, e provavelmente não foi da boca de Galvão Bueno.

Se você, mesmo não tão enlouquecido com esportes como eu, se lembra da nossa seleção feminina de basquete vencendo uma medalha de ouro com Magic Paula e Hortência no Pan, se se emocionou, essa emoção veio da voz dele. Se você chegou a ver seu pai, irmão ou alguém vendo lutas do icônico Maguila, você não deve se lembrar, mas também foi na voz dele. Se você se lembra da Bandeirantes como “Bandeirantes, o canal do esporte”, foi pela voz dele.

Você talvez nunca assistiu uma partida se quer de Fórmula Indy, mas já ouviu alguma frase como “Não perde mais, Tony Kanaan”, repetida na voz dele, criada pelo outro mito Téo José. E os incansáveis rallys das nossas meninas contra as cubanas, nos jogos de vôlei? Ou dos meninos contra os EUA? Você ouviu ponto a ponto na voz dele. Quando o assunto é futebol, caberiam mais páginas de texto, mas fico apenas com os dois Mundiais do meu querido Corinthians. O único a ter esse feito. Na voz dele.

lucianoVocê pode não ser fã de esporte, não saber nomes de jornalistas, não lembrar de datas ou campeonatos ou momentos históricos de cor, mas tenho certeza que lembra de algum atleta. Que torceu em algum desses momentos só pela tensão ou por ser Brasil, ou porque era o que tinha na TV. Que viu algum parente torcendo. Ou que até mesmo foi tocado o suficiente para passar a ser fã de volêi ou basquete desde então. Uma voz que nos ensinou a torcer

O esporte brasileiro foi na voz dele. E não será mais daqui pra frente. Que o que foi criado em uma voz não seja destruído em um silêncio.

Anúncios

Um pensamento sobre “Foi na voz dele

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s