E para organizar uma Copa?

Eu mal comecei o meu trabalho como voluntária na Copa do Mundo 2014 e já tenho muito o que contar. Como disse, vou, aos poucos, compartilhando minha experiência por aqui durante esses tantos dias. Já de início, queria falar sobre duas coisas que me chamaram a atenção no sábado, dia do último treinamento de voluntários: detalhes da organização da Fifa e a Arena Corinthians como sede em São Paulo.

De fato, o clima para a Copa na capital paulista ainda não é o clima que esperávamos. Não sei bem o que será do nosso trânsito, do nosso transporte, da nossa segurança frente a vários protestos que acontecerão e muitos outros detalhes extra estádios. Porém, o que posso dizer é que das catracas para dentro, a Fifa promete algo incrível e absurdamente organizado. E olha que quem está falando é alguém que sempre acompanhou o futebol e sempre teve a entidade Fifa como algo a se olhar com desconfiança, com pés atrás. Eu não sei – e essa nem é a minha intenção – falar aqui sobre política do futebol, gastos públicos, lucros, nem nada disso. Não tenho acesso a nenhuma dessas informações. Falo exclusivamente do que tenho visto, como voluntária, na organização, na logística, na operacionalização de um mega evento esportivo.

Há um fluxo para cada ‘fucking’ ação lá dentro. Há uma resposta para cada possível problema, dúvida, ou situação que possa vir acontecer dentro dos estádios e que procedimentos tomar para solucionar. Há uma equipe responsável, formada por inúmeras pessoas, para cada setorzinho, cada área, cada função. E todos eles com um sorriso incrível para te atender. Há mapas, diagramas, Q&As, de coisas que eu nem imaginaria. São detalhes tão pequenos que vão montando, pecinha por pecinha, o maior evento do mundo. Desde a organização de mais de 1200 voluntários só em São Paulo, até o teste de um único microfone. Ainda que o tal “padrão Fifa” tenha virado quase uma chacota nos últimos meses, o padrão Fifa colocado em prática na preparação do evento é dos mais rigorosos. E tudo isso com o intuito de que a experiência proporcionada ali dentro seja a melhor, mais tranquila e mais inesquecível possível. Estou prestes a me convencer de que, dentro do estádio, sim, será a mais inesquecível.

E nossa Arena Corinthians faz parte disso. Ainda que os últimos ajustes sejam aos 45 minutos do segundo tempo, o estádio está deslumbrantemente lindo. Por fora, por dentro, e por muito dentro, nas salas de coletiva de imprensa, vestiários, corredores, áreas de circulação. Isso tudo já sabemos e cansamos de ler por aí. Mas sempre bom repetir como está, de fato, num nível muito acima de qualidade. No entanto, a minha imensa dúvida sempre foi quanto à localização. Transporte, arredores, acesso, tudo isso me era um ponto de interrogação ainda. Hoje, o que posso dizer é que me parece ter sido uma boa escolha.

O espaço que temos para convivência entre torcedores, para chegada ao estádio, para a curtição do pré e pós jogo, interações com stands de patrocinadores e tudo mais é gigantesco. Clubismos à parte – juro que estou tentando – não consigo imaginar isso acontecendo no Morumbi sem a necessidade de imensas e caras obras em diversas ruas e casas do bairro ao redor do local. E todo esse espaço que temos em Itaquera também facilitou para que se pensasse acesso de imprensa, de estacionamento para deficientes, para chegada e saída de cada setor, para espaços VIPs. Os mapas para tudo isso são inúmeros. A Arena Corinthians é linda, mas para a Copa, não bastava apenas uma modernidade, uma cobertura, ou um aumento de lugares. Era preciso mais e, de novo, o que minha percepção diz é que acertamos nisso.

O que me deixa um pouco inquieta com tudo isso é perceber que sempre tivemos a faca e o queijo na mão para fazer tudo espetacular. E será espetacular. Mas talvez um pouco corrido. O jeitinho brasileiro de “no final tudo sai”, sabe? É nítido, seja na Arena, nos arredores, na cidade como um todo, que um pouco mais de tempo e planejamento seria perfeito. Tivemos esse tempo, só não aproveitamos como podia nem planejamos como devia. Capacidade jamais faltou.

Independente de tudo isso, o balanço até agora me faz dizer: Vai ter Copa sim. E, com correria ou não, vai ser incrível! Exatamente como estamos tanto esperando!

Anúncios

3 pensamentos sobre “E para organizar uma Copa?

    • Não mesmo, infelizmente. Das partes públicas, não posso afirmar, só arriscar opiniões. Mas da organização detentora do evento, o que vejo é muito profissionalismo de tentar sair 100%. Num conjunto de envolvidos, acho que chegaremos em níveis bons…

  1. Pingback: Viver e ser a Copa – parte I: Os meus 6 jogos no estádio | Na Mesa do Bar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s